Guia de comandos Linux para iniciantes

Abra um shell e divirta-se!
:-)

Onde digitar os comandos, login e logout da shell, comandos de ajuda e referências.

1. dmesg – Mensagens de inicialização
2. id – Mostra o usuário atual
3. man – Ajuda sobre algum comando, assunto ou arquivo de configuração
4. info – Ajuda sobre algum comando, assunto ou arquivo de configuração

Comandos para Manipulação de Arquivos

Um tutorial sobre vários dos comandos necessários para lidar com arquivos e diretórios no Linux.

1. pwd – Exibe o diretório atual
2. cd – Navegando entre diretórios
3. ls – Listar arquivos
4. mkdir – Cria um diretório
5. rmdir – Remove um diretório vazio
6. cp – Cópia de arquivos e diretórios
7. mv – Move ou renomeia arquivos e diretórios
8. rm – Remove arquivos e diretórios
9. find – Procura arquivos
10. ln – Cria links entre arquivos
11. cat – Exibe o conteúdo de um arquivo
12. head, tail – Mostra o começo e fim de um arquivo
13. file – Indica o tipo de arquivo
14. touch – Muda timestamps

Compactação e Descompactação

Mostra os formatos básicos de arquivos compactados e como lidar com eles no Linux.

1. tar – Agrupando arquivos
2. gzip, bzip2 – Compactando arquivos
3. zip, rar – Outros formatos de arquivos compactados

Comandos de Tratamento de Texto

Os comandos para tratar do conteúdo dos arquivos. Procurar, substituir, juntar, cortar…

1. sort – Ordena um arquivo alfabeticamente
2. uniq – Elimina linhas repetidas
3. grep – Procura texto e expressões dentro de um arquivo
4. paste – Combina arquivos em um só
5. cut – Separa um arquivo por campos e imprime apenas partes especificadas
6. tr – Transforma caracteres
7. sed – Filtragem e Transformação de Conteúdo

Permissões

Além de mostrar como funcionam as permissões dos arquivos no Linux, ensina a utilizar os comandos que tratam das permissões.

1. chown – Modifica os donos de arquivos e diretórios
2. chmod – Modifica as permissões dos arquivos e diretórios
3. umask – Visualiza e muda a máscara padrão de permissões

Processos

Como funciona a execução dos programas no Linux e como tratá-los.

1. ps – Listar processos
2. top – Lista processos em tempo real
3. pstree – Mostra processos em forma de árvore hierárquica
4. kill, killall – Envia um sinal ao processo (MATA!)

Comandos de Informações do Sistema

1. date – Mostra a data e hora do sistema
2. cal – Mostra um calendário amigável
3. df – Mostra informações de espaço em disco
4. du – Mostra espaço em disco usado por diretórios
5. fdisk, sfdisk – Informações sobre partições
6. hdparm – Informações detalhadas sobre HDs
7. free – Informações sobre memória
8. swapon – Informações sobre memória virtual (swap)
9. cat /proc/cpuinfo – Informações sobre o processador
10. uname – Informações de versão do kernel, arquitetura e outros
11. lspci – Mostra informações sobre dispositivos PCI
12. lsusb – Mostra informações sobre dispositivos USB

DPKG – Debian Package Manager

Como lidar com os pacotes de programas que encontramos por aí na Internet, ou nos CDs das distribuições Linux? Quais os processos para instalar, remover e atualizar programas que estão no formato DPKG?

1. dpkg -i – Instala pacotes
2. dpkg -r – Desinstala pacotes
3. dpkg -l – Lista pacotes instalados
4. dpkg -p – Mostra informações sobre um pacote
5. dpkg -L – Lista os arquivos instalados de um pacote

RPM – RPM Package Manager

1. rpm -i – Instala pacotes
2. rpm -U – Atualiza pacotes
3. rpm -e – Remove pacotes
4. rpm -q – Consulta um pacote
5. rpm -qa – Lista todos os pacotes instalados
6. rpm -qi – Mostra informações sobre um pacote
7. rpm -ql – Lista os arquivos instalados de um pacote
8. rpm -V – Faz uma verificação de integridade em pacotes

Gerenciador de pacotes: apt

Utilizado em distribuições Debian, Ubuntu e seus derivados para instalar e remover programas.

1. apt-get update – Atualiza a lista de pacotes dos repositórios
2. apt-cache search – Procura um pacote por palavras
3. apt-get install – Instala pacotes de programas
4. apt-get remove – Remove pacotes de programas do sistema
5. apt-get upgrade – Atualiza todos os pacotes do sistema
6. apt-get dist-upgrade – Atualiza a versão da distribuição e todos seus pacotes
7. apt-get moo – Invoca os poderes da vaca

Gerenciador de pacotes: yum

Utilizado em distribuições Fedora, Red Hat e seus derivados para instalar e remover programas.

1. yum search – Procura um pacote por palavras
2. yum install – Instala pacotes de programas
3. yum remove – Remove pacotes de programas do sistema
4. yum update – Atualiza os pacotes do sistema
5. yum check-update – Verifica se há atualizações de pacotes disponíveis
6. yum list – Lista todos os pacotes instalados e disponíveis no repositório
7. yum list available – Lista os pacotes disponíveis para instalação
8. yum grouplist – Lista os grupos de pacotes instalados e disponíveis no repositório
9. yum groupinstall – Instala grupos de pacotes
10. yum groupremove – Remove grupos de pacotes do sistema

==========
Fonte: Under-Linux

Anúncios

Consertando o ^M em shell script

Uma boa dica para remover caracteres inválidos que aparecem no arquivo que foi lido/salvo em DOS/Windows e agora está sendo lido em Linux/Unix:

Antes, um pouco de história:
Para quem é dos tempos da máquina de escrever, para mudar de linha precisávamos trocar de linha (line feed) e posicionar o rolo da máquina na primeira posição (carriage return).
Em sistemas Unix, não existe o CR (carriage return), apenas a mudança de linha (LF ou Line Feed). Por esta razão, um arquivo do Unix lido em uma máquina DOS/Windows, é algo do tipo:

abcde
abcde
abcde
abcde

Ou seja, o carro não vai para a primeira posição da linha.
Da mesma forma, um arquivo gerado no windows e lido em alguma máquina *nix, fica como:

abcde^M
abcde^M
abcde^M
abcde^M

Fica um caractere estranho no final (o tal do CR e LF).

Para instalar um conversor de formatos “unix to dos” e vice-versa:
$ apt-get install tofrodos

Teremos os binários todos, unix2dos e dos2unix.

Utilizando os binários:

Unix para DOS
unix2dos arquivo.txt

DOS para Unix
dos2unix arquivo.txt

O comando todos converte para o formato de sistemas DOS/Windows.

==========
Fonte: Dicas-l

O Trânsito do Rio de Janeiro e seus motoristas mal educados

Definitivamente o trânsito, principalmente nas grandes cidades, tem se tornado um mal que precisa ser combatido (leia-se corrigido).
É fato que cada vez mais as pessoas tem condições de comprar um carro e cada dia que passa mais e mais carros chegam às nossas ruas causando engarrafamentos terríveis em alguns pontos da cidade, mas colocar a culpa toda no excesso de carros seria preguiçoso demais.
É preciso analisar quais fatores causam a lentidão no fluxo de veículos e além do excesso, podemos adicionar: motoristas sem educação / sem condição de guiar um carro; trabalho ruim que os engenheiros de tráfego da prefeitura fazem e por último o descaso das autoridades com a bagunça que está o trânsito e isso inclui o tráfego de veículos pesados em hora de rush.
Bom, com relação a esse último ponto, não posso colocar a culpa toda na prefeitura. O prefeito Cesar Maia tentou ano passado instituir uma medida que proibia o tráfego de caminhões nos acessos ao Centro da cidade e eu sinceramente aplaudi essa medida, mas a mesma caiu logo depois, já que as empresas se movimentaram com processos na justiça e como a justiça desse país é amarrada, prejudicou uma idéia que tinha tudo para dar certo. Eu sou totalmente contra que caminhões, sejam médios ou pesados, trafeguem por lugares como Linha Amarela, Vermelha, Brasil e Centro da Cidade no horário de rush. Eles simplesmente travam o trânsito por que não podem ou não conseguem trafegar a mais de 30 Km/h. Além de trafegar a baixíssima velocidade, a maioria desses caminhões que perambulam pelo Centro, são responsáveis por entregas e tirando avenidas importantes como Av. Rio Branco onde o policiamento é intensivo, no mais os caminhões param em qualquer lugar para fazer suas entregas e acabam prejudicando mais ainda um trânsito já ruim.
Outro ponto é com relação a Engenharia de tráfego. Para mim essa é um desastre em certos pontos. O que se vê hoje em dia no RJ é o excesso de sinais em alguns lugares, falta de sinal em outros, sinais totalmente sem sincronia, enfim, um caos espalhado pela cidade.
Até pouco tempo atrás, meu horário no trabalho era bem cedo (chegava na Globo entre 05:00 e 07:00) e nesse horário o trânsito é super tranquilo e a volta se dava entre 13:00 e 15:00, quando o trânsito também não é ruim (passando pela Linha Amarela sempre). O fato é que agora meu horário fica entre 09:30 e 10:00 e com isso pego o pior horário possível para ir e voltar da Barra. Porém a lentidão do trânsito se dá e pontos claros, como a saída da Linha Amarela na Ayrton Senna. Nesse trecho temos um ponto de ônibus, onde também desemboca quem vem da Linha Amarela e quem vem da Cidade de Deus. Com esse resultado temos uma lentidão terrível e em certos dias o engarrafamento na Linha Amarela chega no final do primeiro túnel! Com isso um trajeto que eu posso fazer entre 10 e 15 minutos (Da entrada 7 da Linha Amarela até o final da mesma), acabo fazendo em até uma hora. Por que a prefeitura não remove o ponto de ônibus que está ali? Já reduziria em 20% ou 30% o problema do lugar.
E eu estou falando desse ponto porque é o que eu vejo, e sinto o problema diariamente, no resto do Rio de Janeiro inteiro, temos problemas pontuais assim que causam engarrafamentos absurdos e desnecessários.
Há pouco tempo atrás já ouvi falar em rodízio de veículos, como ocorre em SP, um absurdo aqui no RJ, já que ainda não chegamos perto do nível do trânsito paulista.
O último ponto que gostaria de lembrar é sobre a falta de educação extrema do motorista no Rio de Janeiro!
Acho que a maioria dos motoristas leva a sério uma máxima de que é cada um por si; Que uma “barbeiragenzinha” só dele não vai fazer diferença… O problema é que são milhares pensando assim!
Diariamente vejo carros, ônibus e caminhões, andando na contra-mão; Avanço de sinal (com justificativa infundada de medo de violência); motoristas que não respeitam a faixa da esquerda (que teoricamente deveria ser usada somente para ultrapassagens)… Enfim! Passaria a noite desfiando uma lista gigante de desrespeitos ao CBT.
Juro que não entendo essas atitudes dos outros motoristas… O que custa esperar o sinal abrir? Quando um indivíduo pisca ou buzina para me incitar a ultrapassar o sinal vermelho, coloco o braço para fora e aponto para o sinal (na pior das hipóteses levanto o dedo do meio para ele entender que não vou furar o sinal). Quando um sem vergonha não me deixa ultrapassar e trava a pista da esquerda andando a 60 Km/h, faço questão de cortá-lo pela direita (sim, é contra o CBT!) e depois passo na frente dele e diminuo até que ele saia dessa pista.
Essas atitudes minhas são legais? NÃO! Porém não aturo certas atitudes dos motoristas cariocas e se tiver que “educá-los” farei com o maior prazer.

Bom a pergunta que fica com esse post é: Porque não podemos ter mais consciência de que cada movimento nosso no trânsito, pode melhorar ou piorar o mesmo? Pensem nisso!